HISTÓRIA
Freguesia
Notícias
Historia
Galeria
Turismo
Informações
Videos
Localização
Livro de visitas
 
Autarquia
Orgãos autárquicos
Obras
Informação autárquica
Regulamentos
Heraldica
Contactos
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Beira Grande, freguesia do concelho de Carrazeda de Ansiães, encontra-se a dez quilómetros da sede do concelho, nas proximidades do rio Douro e abrange uma área de dois quilómetros quadrados aproximadamente. Esta localidade tem como freguesias limítrofes a Norte — Selores, a Nascente — Seixo de Ansiães e a Poente — Lavandeira.

Com algumas incertezas por parte do historiador A. Almeida Fernandes, o nome Beira Grande poderá significar Beira Valente.
Quanto ao historial da freguesia, o seu povoamento parece bastante remoto. A comprová-lo existe a toponímia, através do lugar de Vale Martinho, que indicia que o povoamento começou, pelo menos, na época romana.

A existência de um castro, no cume do Monte da Costa, parece ter sido importante na estrutura defensiva da região.
Esta freguesia do distrito de Bragança é possuidora de várias lendas que foram sendo transmitidas, oralmente, de geração em geração. A que é mais célebre é a Lenda da Fonte Santa.

Lenda da Fonte Santa
“No termo desta povoação, concelho de Carrazeda de Ansiães, havia uma Fonte Santa muito concorrida de enfermos, para remédio de seus padecimentos, mas secou-se porque curaram nela as mataduras de um burro; nunca mais deitou água. Esta Fonte Santa era eficaz para os meninos que nela lavam”.

A mulher da cabaça
Quem passa pela freguesia fica intrigado pela reprodução de uma imagem de uma mulher com uma cabaça e um pipo. A origem do desenho perdeu-se em séculos de história, mas o presidente da Junta está convicto de ser um sinal alusivo aos Caminhos de Santiago. “As pessoas não sabem e começam a dizer que é o símbolo da Beira Grande. A quem não veio à freguesia, dizem que é preciso ir ver a mulher da cabaça”, comenta Manuel Aníbal Meireles.

 

Lembrando que há “mais igrejas que têm o mesmo símbolo na cornija”, o presidente da Junta afiança que o padroeiro da freguesia é o Santo António, em honra do qual se realiza, de dois em dois anos, a Festa Grande, a somar ao 13 de Junho. É nessa festa, em Agosto, que é eleita a Comissão Fabriqueira, que fica responsável pela manutenção da Igreja de Santo António.

Em termos patrimoniais, o turista poderá encontrar a Igreja Matriz, as ruínas do Casal, o cruzeiro e a Sede da Junta de freguesia.